sábado, 3 de agosto de 2013

REBOBINANDO - Dragon View / Drakkhen 2 (Super Nintendo)



Dragon View, lançado no Japão como Super Drakkhen e também conhecido como Drakkhen II, é um game lançado para o Super Nintendo, em novembro de 1994 pela Kemco (a mesma da série Top Gear). Ele foi criado para ser uma sequencia para Drakkhen. Embora tenha pouca semelhança com o seu antecessor, que também utiliza um sistema pseudo 3D no seu mundo. O game tem uma visão lateral de ação/RPG, usado para explorar áreas mais detalhadas, tais como cidades e dungeons.





Gameplay
A maior parte da jogabilidade no game ocorre por meio de uma visão lateral, em um sistema híbrido de RPG e Ação, ocorre em uma tela widescreen, com um grande painel de exibição de caracteres e informações pessoais e de inimigos ocupando a parte inferior da tela. Gameplay neste modo é uma herança/referencia a Zelda II para o NES/Nintendinho . O personagem pode andar por diversas áreas, explorando e lutando contra monstros, no sentido tradicional. Além de andar para frente e para trás, e possível ir para frente e para trás do cenário, como em beat em' ups da época. O game não limita o jogador a se mover em qualquer direção ao longo do jogo, o jogador é permitido (e às vezes é necessário) recuar através de qualquer área ou calabouço, todo o caminho de volta ao ponto de partida do jogo. Nesse tipo de estrutura, muitas vezes precisamos voltar com novas técnicas ou itens para poder liberar parte ocultas ou fechadas dos primeiros ambientes, encontrando novos itens e desafios.





Também estão presentes os elementos mais tradicionais de RPG. O personagem fica mais forte ganhando níveis, como os valores predefinidos de pontos de experiência são atingidos. A recompensa para um nível de ganho é um aumento nas estatísticas ofensivas e defensivas, permitindo ao jogador sobreviver com segurança em áreas mais perigosas. Outras estatísticas, como HP e MP são aumentados quando o jogador encontra itens especiais, muitas vezes escondidos dentro de áreas de masmorras ou no mapa do mundo.
Muitos tipos diferentes de tais itens especiais e upgrades estão escondidos em todo o mundo.
Além disso o game também apresentava o save game, muito útil para o RPG's, e era muito pouco usado pelas empresas na época, normalmente usavam password.




Na série Drakkhen a característica mais reconhecível é o seu motor para o overworld. Usado pela primeira vez pelo Drakkhen 1 no Amiga, foi mais tarde utilizado no PC e no SNES. Embora não seja 3D de verdade, o motor do overworld simula profundidade sobre si próprio (sem o auxílio de hardware complementares, tais como o chip Super FX) usando a escala do sprite e rudimentar renderização. Este sistema é capaz de rodar sem problemas no hardware do SNES, pois pouco mais da metade da área total da tela está sempre em uso. Uma vez que os painéis superior e inferior são completamente estáticos durante a navegação overworld, todo o poder do hardware está focada em tornar a visão em primeira pessoa. Mesmo assim o framerate pode sofrer um pouco, causando lerdeza.

O Game é excelente e fica naquela categoria de games ótimos esquecidos... a história do game não é das melhores, na verdade é bem clichê, você é o herói (sem nome...) e tem que salvar Katerina do vilão Argos, o motivo dele levar ela eu não lembro (...), afinal joguei esse game  a muito tempo e não entendia muito de inglês na época, e não encontrei em nenhum lugar sobre a história dele.